Não peças desculpa pelo que és - Reflexão #1

"A palavra desculpa, no sentido da língua portuguesa, designa um apelo direcionado a algo ou alguém, quando há presença de culpa e este apelo pede o perdão do sujeito. No sentido figurado, a palavra desculpa designa uma farsa real ou de ficção cujo a pessoa diz ao sujeito para justificar a sua ausência de culpa."


Recentemente, tive uma mudança na minha vida e, no meu último dia de trabalho, existiram algumas pessoas que, ao se despedirem de mim, me pediram desculpa: "desculpe por alguma coisa que possa ter feito". Isso tocou-me de forma particular, principalmente porque veio de pessoas que nunca fizeram nada com maldade ou intencionalidade. Quem me pediu desculpa fê-lo justificando os seus atos com a sua personalidade ou com a sua forma de trabalhar, que é diferente da minha em certas situações. Mas por estes motivos não se pede desculpa. Pedir desculpa por aquilo que somos ou pelos nossos atos? Isso não!

Cada pessoa é como é. O que me incomoda não são as pessoas que trabalham menos bem, pois com motivação e aperfeiçoamento qualquer um pode aprender e fazer bem. O que me incomoda são pessoas que trabalham mal, mas que julgam trabalhar bem e que a sua melhor função é criticar o trabalho desempenhado pelos outros colegas que possam ter mais dificuldade. Se são assim tão bons porque é que em vez de criticar ou fazer queixas às chefias, não passam todos os seus conhecimentos a quem possa ter mais dificuldades de adaptação?

Por isso, querida A., continua assim empenhada em ser mais e melhor todos os dias, é isso que o nosso mundo precisa. Da minha parte foi um gosto trabalhar contigo, mas não aceito o teu pedido de desculpa, pois não vejo motivo nenhum para tal.

Cada pessoa é como é. O que me incomoda não são pessoas "brutas" a comunicar e que incluem uns quantos "alhos" nas suas frases. O que me incomoda são pessoas com segundas intenções nas palavras floreadas que proferem. O que me incomoda é o cinismo das pessoas que pela frente são "amores" e "beijinhos" e, por trás, são umas "cobras venenosas". 

Por isso, B., continua assim com a tua habitual espontaneidade e sinceridade nas conversas que tens. E desculpa-me mas também não aceitarei o teu pedido de desculpas, pois não há motivo para tal. 

Cada pessoa é como é. O que me incomoda não são pessoas exigentes no seu trabalho. O que me incomoda é passarem o seu limite de atuação e quererem intervir na forma como eu atuo sobre o doente, sendo que na minha ação o meu principal interesse é o bem-estar do doente, seja ele quem for. 

E tu, C., sempre fizeste o teu trabalho exemplarmente, respeitando o meu e, por isso, não há motivo para desculpa. Contudo, confesso que percebi que esse pedido não foi pessoal mas coletivo, foi um pedido pela atuação que determinados colegas teus têm e tiveram para comigo. Por eles, desculpas aceites. O teu pedido, desculpa-me mas não posso aceitar.


São de pessoas genuínas e que procuram ser melhores todos os dias que o nosso mundo precisa e, pedir desculpa é um dos maiores sinais de auto-melhoramento, é ter consciência que de, alguma forma, estivemos menos bem em determinado momento e reconhecê-lo. Estas pessoas são um ensinamento e levarei sempre no meu coração, pelo que tenho a dizer: obrigada por terem passado na minha vida.


By Tatiana

Sorriam e sonhem sempre mais*

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.